domingo, 30 de março de 2014

Curry de jaca verde

E ainda tem jaca verde no meu freezer! Comi essa semana no .Org, um restaurante vegetariano e orgânico no Jardim Oceânico, Barra. E lá tudo é muito delicioso. Nesse dia o prato foi um curry de vegetais que estava uma delícia! Aí lembrei da jaca verde e bolei uma receita de jaca inspirada nesse curry. Claro que eu não tenho um terço da criatividade que o pessoal do restaurante tem para deixar o prato bonito. Mas ficou muito gostoso. Eu comi o meu como se fosse uma sopa mesmo, já o Leo comeu com arroz e ficou uma combinação perfeita.

Receita:
2 cebolas picadas
4 dentes de alho picados
1 pimenta dedo de moça sem semente
1 xícara de leite vegetal (usei de coco caseiro)
200 g jaca verde cozida
Legumes que você tiver e quiser botar (eu usei cenoura e brocolis que estavam na geladeira).
2 cc Curry (usei uma mistura de garam masala e balti curry, dois tipos de curry que comprei quando estava viajando)
40 g biomassa descongelada e aquecida - para que ela volte para a textura original (opcional)
Sal

Refogue a cebola, alho e pimenta. Quando estiverem dourados, acrescente o curry, a jaca e metade do leite. Dilua a biomassa no resto do leite e acrescente. Prove o sal. Acrescente os legumes cozidos que voce tiver. Se os legumes não estiverem cozidos, coloque no início!
Salpique salsinha por cima e sirva!








Crepioca de banana


Essa é fácil, fácil! Uma sugestão diferente da tapioca nossa de todo dia. Assim, ela lembra um crepe e dá a sensação de que estamos comendo algo mega engordativo.

Já vi várias versões da crepioca, mas fiz a minha com as farinhas que tinha em casa. É só usar a criatividade.

Massa:
1 ovo
1 cs goma de tapioca
1 cs farinha de coco
1 cc açúcar mascavo (é só para tirar a neutralidade)
1 pitada de cardamomo em pó.

Bata todos os ingredientes num copo alto (bate no garfo mesmo!)

Recheio:
1 banana
1/2 cc oleo de coco
1 colher (aí você escolhe o tamanho da sua hehehe) de rapadura ralada ou mel
pitada de canela e cardamomo em pó

Eu pego duas frigideiras (porque eu tenho preguiça de esperar, lavar e tudo mais). Em uma refogue a banana picada no oleo de coco, mel, canela e cardamomo. Espere virar um recheio cremoso, com um pouco de caldinho.

Na outra frigideira, você unta com um pouco de oleo de coco e despeja a massa da crepioca. Espera uns 3 minutos e vire. Mais uns dois minutinhos e está pronta pra rechear!!!




sexta-feira, 28 de março de 2014

Torta e pastel de forno sem glúten e sem lactose



Essa não é a receita mais prática para se fazer. Isso porque os ingredientes não são muito fáceis de encontrar. Mas o problema é que eu sou uma pessoa louca por feiras e supermercados. E isso faz com que eu compre todas as novidades. Depois eu fico um tempão pensando o que eu posso fazer.
E desde que eu diminui o consumo de trigo, a coisa mais difícil é encontrar produtos que deem a liga que o glúten dá. Diversas opções são sempre trazidas como "o grande substituto", tais como: farinha de arroz moti, biomassa de banana verde, goma xantana, amido e etc.

Acontece que eu tenho TUDO isso em casa. E eu queria fazer uma massa de torta/pastel de forno que não esfarelasse. E para não arriscar uma massa inteira, coloquei tudo que tinha (exagerada!!!) e deu super certo! A massa ficou elástica, ótima para modelar. Só não me pergunte qual foi o ingrediente responsável por isso hahahahaha

2 cs farinha de babaçu (ou amido de milho ou fécula de batata)
2 cs farinha de arroz moti (substitui por farinha de arroz mesmo porque não sei o que pode ser usado no lugar dela)
1,5 xic. farinha de arroz integral
1/2 xic polvilho azedo
1/2 xic. polvilho doce
2 cc sal rosa
1 cc bicarbonato
noz moscada
2 cs chia hidratada em 10 cs de água (deixe por uma hora ou duas de molho)
1/4 xic azeite
1/2 xic de agua
2 cc goma xantana
40 g de biomassa de banana verde (opcional)
1 ovo

Ferva a água  para diluir a biomassa (a minha estava congelada). Num bowl, misture todos os ingredientes até formar uma massa homogênea. Pode ser que precise de um pouco de água a mais, depende muito. Ela tem que ficar homogênea. Deixe descansar na geladeira enquanto faz o recheio.

O recheio da torta foi um frango desfiado que fiz assim: refoguei cebola, alho, frango, leite vegetal e biomassa para ficar cremoso. Mas aí você faz do jeito que gostar mais. O recheio do pastel foi uma mistura de cogumelos shiitake e portobelo refogados com cebola e alho.

Abra a massa com um rolo e aí corta redondo para fazer o pastel ou coloca numa forma se quiser fazer estilho torta.

Ficam as duas opções aí!












domingo, 23 de março de 2014

Macarrão sem glúten com molho branco (sem lactose!) e shiitake

Comprei um spagueti italiano feito de arroz (nao lembro a marca... E ja joguei fora o papel) pensando num molho branco sem gluten. E comprei na feira um shiitake lindo pra entrar nessa receita. 
Demorou pra conseguir parar pra fazer, mas hoje saiu! 

Ingredientes:
250 g massa sem gluten
300 ml leite vegetal (usei de amendoas)
2 inhames (um cozido e outro cru)
1 gema
Umas fatias de carne que tinha (a ideia era usar tiras de file mignon, mas como ja tinha carne pronta, usei a picanha que tinha mesmo e fatiei)
1 cebola grande picada
3 dentes de alho
Ghee 
Noz moscada, sal e pimenta

Molho:
Bata o leite vegetal com o inhame cozido e o cru (usei dessa forma porque, de inicio, cozinhei so um inhame, mas achei ralo e bati no liquidificador outro cru mesmo) e os temperos (noz moscada, sal e pimenta). Quando estiver tudo bem homogeneo, coloque em uma panela com a gema e mexa em fogo baixo ate engrossar. Desligue o fogo.

Cozinhe a massa al dente (8/10 minutos) so no sal e bastante agua.

Em uma frigideira grande, refogue o alho e cebola no ghee. Acrescente a carne e o shiitake. Mexa por uns 8 minutos ate cozinhar o shiitake e a carne (no meu caso ela ja estava cozida). Adicione o molho branco. Acerte o sal e sirva com umas castanhas trituradas por cima.











Bolo de chocolate sem gluten

Porque domingo é dia de bolo!!!!! Minha mudanca na alimentação não é algo fechado nem totalmente proibitivo. Ate porque eu amo comer e se tivesse que parar tudo, isso nao duraria muito. Entao, é claro que rola umas jacadas (muitas, por sinal), mas sempre procuro usar ingredientes mais naturais, diminuir o açúcar e fazer em pequenas porções, assim acaba logo e não como mais hehehhe

Esse bolo veio de uma variação do petit gateau, so que sem gluten e sem açúcar branco. So nao foi totalmente sem leite porque tive que usar manteiga, ja que nao tinha oleo de palma na feira essa semana. Mas para uma versao sem lactose é so substituir por óleo de palma,óleo  de coco, enfim.

Ah! O bolo ficou muito bom! Delicia delicia delicia! 

3 ovos
150 g chocolate em gotas 70%
100 g manteiga ou outra gordura (coco ou palma)
150 g acucar mascavo (na verdade, ralei a rapadura na hora)
100 g farinha sem gluten (coloquei umas duas colheres de farinha de arroz moti e o resto de farinha de arroz integral)
1 pau de canela
1 cc fermento

Separe a clara da gema. Bata as claras em neve.
Leve em banho maria a gordura e o chocolate ate que derretam e formem um creme homogeneo.
Enquanto isso, misture a gema e o açúcar. E vá adicionando aos poucos a mistura de chocolate (tem que ser aos poucos para nao cozinhar a gema!)

Acrescente a mistura de farinha. E coloque delicadamente as claras, incorporando aos poucos. Adicione o fernento.

Unte e enfarinhe uma forma de pudim e despeje a massa. Leve ao forno pre-aquecido a 180 graus por 40 minutos ou ate espetar com um palito e sair limpo.

Calda:
1 xic leite de coco caseiro (ele é menos forte. se for usar o industrializado, dilua com agua 50% agua 50% leite de coco)
2 cs acucar mascavo
1 cs cacau em po
1/2 cc cardamomo em po
1/2 cc canela em po

Leve ao fogo baixo todos os ingredientes ate reduzir um pouco. Desligue o fogo e espere esfriar um pouco (mas ainda morninha!!!)

Fure o bolo e regue com essa calda.

Bom apetite!!!!!








quinta-feira, 20 de março de 2014

Mousse de banana e abacate

A pessoa nao pode ver uma receita diferente que resolve tentar e.... Mudar, claro! Hehehe

Queria fazer um jantar especial pro marido, mas nao rolava inventar so salada ne? Aqui em casa procuramos evitar carboidrato a noite (eu, ne? Mas como quem faz a comida majoritariamente sou eu, ele é obrigado a entrar na dieta heheh)

Mas de vez em quando merecemos uma sobremesa e foi ai que lembrei do programa da Bela Gil, que fez uma gelatina de melancia e mousse de banana por cima. E como eu AMO banana, fiz as minhas adaptações

Vamos la!

2 bananas maduras picadas
1/2 abacate
Óleo de coco para untar
1 c sobremesa de cacau empó 
4 tâmaras deixadas de molho por algumas horas
2 colheres de chá de mel (ou mais, dependendo da banana e do seu gosto por doces)

Coloque a banana em um pirex untado com óleo de coco e leve ao forno baixo por uns 40 minutos (queria usar papel aluminio, mas não tinha, entao deixei o forno a 90 graus). Assim a banana vai ficar mais docinha.

Quando esfriar, bata a banana, mel, tâmaras e o abacate no processador.

Leve para gelar e salpique cacau em po. Facil ne? Mas tem que ser mesmo, afinal, nao rola de fazer nada mega elaborado durante a semana.



quinta-feira, 13 de março de 2014

Sorvete de banana

To de olho nessa receita há tempos! Minha querida amiga Elaine fez, gostou e me ensinou. E hoje ela veio pra me animar, acompanhando um bolinho de chocolate....

Lulu,  essa é pra você fazer esquema pra Ju! Mole mole! So entrou aqui porque voces pediram.

Ingredientes:
2 bananas MUITO maduras!!!
Mel (se nao estiverem muito maduras)
1 processador

So isso??? Sim, so isso.... Por isso nao ia entrar aqui hehehe

Pique as bananas e leve para o congelador (tenho sempre bananas assim no meu)
Depois bata no processador ate virar um sorvete. Nao pode passar muito (pra nao ficar mole) nem pouco (a ponto da banana ficar inteira).
Quando voce perceber que esta homogeneo, desliga!

Se nao estiver muito madura, coloque mel. E pode usar canela tambem!! Nao botei porque queria usar com o bolo, mas deve ficar otimo!




Bolinho de baunilha com gotas de chocolate sem gluten e sem lactose

Vontade de enfiar o pe na jaca hoje.... Mas ate pra jacar tem que ser com moderação. Entao saiu esse bolinho de baunilha com ganache.
O chocolate é 70%, entao, é bem amargo. Mas como o meu objetivo é desapegar do excesso de açúcar, até que estou me saindo bem.

A receita vai dedicada para as primas Dani e Bia, que deram o pontape inicial e trouxeram boa parte da familia para um projeto nutricional.

Gracas a elas estao todos tentando ter uma vida mais saudavel, com alimentos naturais, acompanhado de exercicios.

Parabens meninas pela dedicacao de voces!

Massa do bolo (rende uns 5 bolinhos)
1 ovo
3/4 xic farinha de arroz integral
1/4 xic polvilho doce
2 cs oleo de coco
1/3 xic açúcar mascavo (ou adocante / é porque eu nao uso)
2 cc baunilha
1/2 xic leite vegetal (usei de coco)
40 g biomassa de banana verde (opcional, para dar liga. Nao esquecer de aquecer antes se estiver congelada!!!)
1 cc fermento em pó
1/3 xic gotas de chocolate 70% (opcional)

Bata no liquidificador o ovo, oleo, baunilha, leite vegetal e acucar.
Junte as farinhas e o fermento. Incorpore os liquidos e a banana verde. Acrescente as gotas quando a massa estiver uniforme.
Distribua em forminhas de silicone (assim nao precisa untar) e leve ao forno 180/200 por 18 a 20 minutos. Espere esfriar.

Ganache
40 g biomassa
1/3 xic gotas de chocolate 70%
1/4 xic leite vegetal
1 cs oleo de coco
1 cc baunilha
1 cs acucar mascavo (ou adoçante)

Leve em banho maria ate incorporar.
Espere esfriar e coloque por cima do bolo. Para confeitar usei granulado belga 70%. E servi com sorvete de banana.



Kibe (quibe) de forno sem gluten e sem lactose - feito com quinua

Eu amo kibe (ou quibe, mas kibe é tão mais bonitinho)
Amo mesmoooo (se bem que mamae ama muito mais que eu)
So que mandar aquele belo bolinho frito cheio de gluten nao rola, né? 
Mas e aí? Tinha separado carne moida pra fazer, mas como tinha que ir no mercado, quinoa olhou pra mim e  veio a ideia: kibe de forno com quinoa ora bolas!

Mamy, essa receita é pra você! Uma forma de comer a besteira que voce tanto gosta e ao mesmo tempo nao sair muito da dieta. Força no seu objetivo!!!! Ta ficando cada vez mais gata! 


1 xic de quinoa em graos cozida (cozinhar com mais ou menos 3 xic de agua. Escorre a agua e reserva)
Temperos a gosto (usei paprica doce e picante, endro, curry, pimenta e noz moscada)
Ervas a gosto (usei salvia, hortelã, salsa e cebolinha)
Sal
400 g carne moida limpa
1 ovo
2 cs gergelim preto (pode diminuir, é so pra dar essa cor bonita)
1 cenoura ralada
2 cebolas em meia lua
1 tomate picado

Musture a quinoa, sal, temperos, ervas, gergelim, carne e ovo.



Refogue a cebola em oleo de coco (ou palma ou ghee). Quando amolecer, misture a cenoura ralada e tomate picado.

Para montar, unte um pirex. coloque uma camada da massa do kibe. Coloque o recheio


Mais uma camada de kibe

Leve ao forno medio (180/200) por uns 25 minutos. Regue com azeite. Sirva com salada! 


domingo, 9 de março de 2014

Bolo mesclado recheado - sem glúten e sem lactose

Ontem rolou um lanchinho na casa da sogra. E resolvi fazer um bolinho mais natureba para levar para a família. Lembrando que sempre é possível fazer a substituição açucar mascavo por adoçante. É porque eu não tenho hábito de usar em casa, por isso minhas receitas sempre levam açúcar mascavo.

Ingredientes
2 ovos
3/4 xic de farinha de arroz integral
1/4 xix de arroz moti (comprei numa loja de produtos naturais. É boa porque ajuda a dar liga)
1 xic farinha de castanhas (era um mix de castanhas de caju, pará e nozes)
3/4 xic de leite vegetal (usei de coco)
3/4 xic açúcar mascavo
1 cc fermento em po 
1/4 xic oleo de palma

Bata as claras em neve. Misture a gema e o oleo de palma. Acrescente o açúcar. Depois alterne as farinhas com o líquido. Junte o fermento e as claras delicadamente. 

Depois eu dividi a massa a misturei 2 cc baunilha em uma e 1 cs cacau na outra. Depois coloquei as duas misturas na forma redonda untada e enfarinhada (acho que uns 20 cm) e levei ao forno. Ficou um efeito bonito. 

Depois de uns 20 minutos o bolinho estava pronto. Esperei esfriar um pouco e dividi ao meio (podia ter colocado em fôrmas separadas, mas queria usar meu cortador de bolo).

Para a ganache usei 
200 g biomassa de banana verde
100 g chocolate em gotas 70% (sem gluten e sem lactose)
1/2 xic mel de engenho (é a rapadura na forma de mel)
1/2 xic leite vegetal (coloque aos poucos, pode ser que use menos).

Misturei tudo na panela até o chocolate derreter e incorporar com os outros ingredientes. 

Recheie o bolo e coloque também como cobertura. Ah! Dei uma molhadinha no bolo com um pouco de leite vegetal e açúcar. 

Joguei por cima um granulado de chocolate belga 70% sem gluten e sem lactose.






Biomassa de banana verde

Vamos lá! Nunca pensei em fazer um post sobre isso, afinal, tem vários na internet. Mas como as amigas e a mãe pediram..... Aí vai.
Quase destruí o liquidificador da mamãe ao tentar bater e filmar ao mesmo tempo, mas tuuuuudo bem.

Algumas observações:


  • Faça num processador (daqueles grandões). Eles aguentam mais a banana sem precisar de líquido. Lembre que a banana verde é um alimento mais denso, gosmento e gruda em tudo. O liquidificador não aguenta muito bem
  • Se não tiver um processador, mas só um liquidificador, esse é o teste para saber se ele é bom. Mas aí coloque um pouco de líquido! Usei mais ou menos 200 mL de água para cada 7/8 bananas. Pode parecer muito, mas se você não quer destruir seu utensílio doméstico, faça desse jeito.
  • Se estiver fazendo no liquidificador, deixe as bananas no ponto! Deixei todas cortadinhas, exceto uma, que usei como "pilão". Depois enfiei a colher de silicone com todo cuidado do mundo (Não façam isso!) e não encostei na lâmina - ufa!
  • Quando resolver fazer a biomassa, faça em grande quantidade. Eu congelei em formas de gelo e em potinhos. Uso as forminhas de gelo para engrossar caldos, ou seja, quando preciso usar uma pequena quantidade. Os potes maiores são para fazer receitas que usam mais biomassa, tipo ganache, nhoque, etc. 
  • Para descongelar - e isso é MUITO importante - aqueça a biomassa (de preferência na panela com um pouco de líquido, se necessário). Não use ela assim que descongelar! Ela vai ficar borrachuda e não vai dissolver. Ela precisa ser aquecida para voltar à textura original! Se você não fizer isso, a receita não vai funcionar!
Espero que o vídeo ajude, assim como as fotos. Fiz muita biomassa porque meus sogros trouxeram quase 6 dúzias de bananas. Ainda distribui um pouco para minha mãe e mesmo assim ainda ficou muita coisa.



Vou descrever aqui o modo de fazer e anexar os vídeos.


Coloque água em uma panela de pressão e espere ferver (sem tampar, lógico!). Quando ferver, coloque as bananas com casca (é importante não tirar as pontinhas, ela precisa estar bem fechadinha). Tampe a penela de pressão. Quando ela começar a apitar, deixa uns 20 minutos (deixo esse tempo todo para que elas fiquem bem macias e mais fáceis de bater).


video

Espere que a pressão saia naturalmente (não force! Não quero ninguém se machucando depois hehehe)
Abra a panela de pressão e comece a tirar a casca da banana.


video

Muita gente usa a casca para fazer uma entradinha tipo beringela, mas ainda não usei, até porque já estava com a cozinha atolada hoje.


Bata a polpa da banana com um pouco de água (200 mL para cada 7 ou 8 bananas, como já disse acima).
Guarde em potinhos e fôrmas de gelo. Leve ao congelador.





sábado, 8 de março de 2014

Cajuzinho de biomassa

O que fazer com a sobra de cobertura de biomassa? Cajuzinho oras! Esse é o meu doce preferido. Lembro que em um aniversario minha mãe fez várias bandejas de brigadeiro e cajuzinho. Eu simplesmente escondi uma bandeja inteira de cajuzinho pra comer sozinha depois!!! E marido também é apaixonado por esse doce. Então esse pratinh foi rapidamente devorado hehehe

Ingredientes:

1 xicara de cobertura de biomassa (fiz com biomassa, chocolate 70%, leite de amendoas e um pouco de mel de engenho - a receita detalhada vem depois no bolo)
1/2 xicara de castanhas moidas

Acucar para polvilhar
Castanha para espetar no doce

Misture tudo e depois enrole no formato do cajuzinho. É simples ne? E é mesmo! Depois vou tentar fazer um com tâmaras 


sexta-feira, 7 de março de 2014

Nhoque de biomassa e abóbora - sem glúten e sem lactose


Essa foto eu postei no instagram e tinha esquecido de colocar a receita aqui! Mas a minha amiga  Glaucia perguntou, e aqui está!

Esse nhoque surgiu com um objetivo: começar a introduzir a abóbora aqui em casa. Marido não gosta, mas eu amo! Aí complica.... Então a ideia é colocar na nossa alimentação aos poucos. 

Fucei umas receitas, lembrei de uma outra massa de nhoque que tinha feito com trigo e saiu esse prato super saboroso. 

Se bem que eu acho muito difícil uma massa ficar ruim quando o molho é gostoso. E isso é fundamental: molho de tomate caseiro e orgânico! Com muito manjericão e carregado no alho e cebola. 

Vamos para a receita:

200 g biomassa de banana verde
200 g polpa de abóbora japonesa assada (coloquei no forno coberta com papel aluminio por uns 20 minutos, depois amassei bem a polpa)
2 xic farinha de arroz (pode precisar de um pouco mais)
Sal
Pimenta
1 ovo
1 c.c da sua erva de preferência

Misture a biomassa (Atenção! Se você deixa a sua congelada, descongele e aqueça em uma panelinha com um pouco de água, assim ela volta para aquela consistência original) e a abóbora. Acrescente o ovo, sal, pimenta e a erva. Vá colocando a farinha de arroz aos poucos até dar liga. A consistência é firme, mas não muito (porque aí fica pesada). O ideal é deixar um pouquinho mole e deixar que a farinha de arroz que você vai usar para polvilhar a superfície dê o toque final.

Deixe descansar um pouco na geladeira (se tiver tempo). Polvilhe uma superfície com farinha de arroz e vá enrolando um pouco de massa como se fosse uma minhoca eheheheheh
Corte em pequenos pedaços de nhoque. 

Ferva uma panela de água com sal e coloque as bolinhas. Quando elas começarem a subir, retire com uma escumadeira e coloque em uma tigela com água e gelo (para parar o cozimento). Disponha em um pirex e coloque o molho de sua preferência (fiz um bolonhesa com tomate e manjericão orgânicos). Leve ao forno por uns 15 minutos. Se quiser, coloque queijo ralado por cima.

Bom apetite!






quinta-feira, 6 de março de 2014

Pão de queijo fake (de batata doce)

Essa receita foi a terceira que fiz até chegar no ponto certo, leia-se, o ponto que o Leo (marido) gostasse e ficasse o mais próximo possível do pao de queijo.
Comprei paezinhos parecidos da Monama organicos, mas quando comi e vi os ingredientes, não sosseguei enquanto nao fiz um parecido.
A ideia original era com batata baroa, so que elas nao estavam aparecendo na feira orgânica. E eis que surgiu na minha vida a tal da batata doce. De um lado, marido dizendo que não gosta. Por outro lado, eu doida para ver se gostava (minha mãe não curte, logo, não tinha o hábito de comer) e com vontade de usar na minha cozinha depois de ler os benefícios.
Da para fazer com inhame, aipim e batata inglesa também, mas aí é mole, né? Com os dois primeiros pra mim vai ser mais fácil ainda porque o Leo é louco por inhame e aipim. Então fui logo no desafio e lancei mão desse pao.
Na primeira tentativa ficou show! Na segunda, quem provou gostou, mas aí marido veio e disse que o primeiro tinha ficado melhor. E aí eu já não lembrava mais o que tinha posto. E ontem a noite fui para a cozinha decidida a pesar tudo e anotar. E aproveitei para fazer mais um teste: enrolei, coloquei em uma assadeira e levei ao congelador. Hoje de manhã foi só assar congelado mesmo para ver como ficaria. Resultado final: marido aprovou e a receita veio pra cá.
Esse pão é ótimo para substituir o pão de queijo industrializado. E é ainda  mais legal para fazer com  crianças porque elas podem ajudar a preparar e ainda é um lanchinho mais saudável e feito em casa. E pode fazer em grande quantidade e congelar. Depois deles congelados de um dia para o outro, é só tirar da assadeira e colocar em saquinhos. Assim eles não grudam!

Ingredientes
250 batata doce cozida e amassada
1 cs oleo de coco (ou manteiga ghee ou óleo de palma)
1 cc sal (pode colocar mais um pouco, aí depende do seu gosto)
1 cs chia
1 xícara de polvilho azedo (pode ser que precise de mais um pouco para dar liga)
1 ovo (caipira/orgânico!)


Modo de preparo
Amasse a batata doce ainda quentinha (mais fácil!). Junte o oleo e os ovos. Mexa bem.
junte o sal e a chia. E a partir daqui você comeca a ir juntando o polvilho. Antes de sair colocando tudo, vai aos poucos porque pode ser que o seu ovo seja maior ou menor que o meu. E isso vai influenciar um pouco. O ponto é quando a massa comeca a ficar mais durinha e não gruda mais tanto nas mãos. Mas não deixe que ela fique muito dura!
Vê se dá para ter noção com essa foto.


Deixe na geladeira por uns 20/30 minutos para ficar mais fácil de modelar e até mesmo para o polvilho ser absorvido (até por isso o bom é não exagerar no polvilho!).

Modele as bolinhas do tamanho de um pão de queijo. Coloque na assadeira e leve ao congelador. No dia seguinte, é só pegar essas bolinhas e guardar no saquinho para ir usando aos poucos.

Na hora de assar, preaqueça o forno a 180/200 e coloque os pães ainda congelados por uns 30 minutos ou até dourar. Bom café ou lanchinho!



Fazendo em grande quantidade da pra congelar e usar aos poucos...




Esse foi o de hoje:



E esse foi o primeiro que fiz:





Torta de maçã - sem glúten e sem lactose

Vontade de comer um docinho hoje... Só que ainda não fiz as compras pós carnaval! Então tive que trabalhar com o que tinha em casa (quase nada!)
O recheio não fica cremoso, já que usei agar agar, mas da pra fazer usando biomassa ou amido de milho pra quem gosta (eu não uso porque ainda não encontrei um amido de milho que não seja transgênico).
Receita para uma tortinha pequena (usei um pirex pequeno que tenho, porção generosa para duas pessoas)

3 cs  farinha de arroz
1/4 xic farinha de amêndoa
1 cs óleo de palma (ou coco)
1 cs agua
2 cs açúcar mascavo
1 cs polvilho doce

Misture tudo ate virar uma massa homogênea. Espalhe em uma forma, deixando uma massa não muito grossa, cobrindo fundo e lateral.

Leve ao forno médio (180/200) por uns 12 a 15 minutos.

Recheio
1 xic de agua com 1 cs de whey protein sem sabor
1 cc baunilha (usei minha essencia caseira)
2 cs rasas de açúcar mascavo (pode diminuir ou substituir por adoçante, mas hoje eu tava na tristeza pós viagem e afundei o pé na jaca hehehe)
1 cc agar agar
1 maçã (1/2 eu ralei e a outra metade fatiei para enfeitar e dar um sabor crocante)

Misture todos os ingredientes (menos a parte fatiada da maçã) e leve ao fogo ate ferver. Coloque em cima da massa e decore com as fatias de maçã. Leve ao forno por uns 4 minutos e depois leve para gelar.