quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

Bolo funcional - sem gluten e sem lactose

A receita original é da Betty Milanez, que peguei no site Cuecas na Cozinha, só que fiz as adaptações com o que tinha e acabei por usar a ganache de biomassa do Marcelo Facini, já que estava com um belo estoque de biomassa na geladeira.

Bolo:
Ingredientes:
3 ovos separados
1/2 xícara de leite de arroz
1/2 xícara de óleo de babaçú (ou de coco, mas acho ele muito forte. Se não tiver problemas com leite, use manteiga)
1 xícara de açúcar
1/2 xícara de chocolate em pó
1 xícara de farinha sem glúten (usei da Schär, que é maravilhosa!!!) 
1 colher de café de goma xantana 
1 colher de sopa de fermento

Modo de Preparo:
Bata as claras em neve e reserve.Bata as gemas e junte o açúcar e depois o óleo. Bata até ficar bem claro. Acrescente leite e vá alternando com a farinha e chocolate. Ponha o fermento e bata mais um pouquinho. Desligue a batedeira e acrescente as claras em neve. Ponha a mistura em uma forma untada (20 cm) e coloque no forno a 180C por mais ou menos 40 minutos.
Espere esfriar para desenformar.
Aqui como ele estava antes de ir para o forno:



Depois de assado, divida o bolo ao meio (você pode fazer em duas formas, mas aí o tempo de forno diminui!!!!)
Para o recheio de biomassa:
2 xícara de chá de  biomassa de banana verde (400 g)
200 g chocolate em barra amargo (usei 75%)
6 colheres de sopa de açúcar (dessa vez usei o refinado porque o povo lá nos meus pais é igual formiga e o meu mascavo tinha acabado).
1 vidro de leite de coco (200 mL) ou a mesma quantidade de leite de arroz, caso não goste de leite de coco (pode ser que precise um pouco mais, mas isso vai depender da textura da sua biomassa. Você vai ter que sentir ao misturar. Se ficar muito grossa, coloque mais líquido).
Leve ao fogo até o chocolate derreter e a mistura ficar incorporada (qualquer coisa, usa o mixer porque a biomassa as vezes fica durinha)
1 caixa de morangos orgânicos picados (deixe alguns para decorar)



Depois de dividir a massa, coloque o recheio de biomassa e espalhe os morangos. Tampe o bolo com a outra metade e jogue o restante do recheio por cima. 
Olha que lindo que fica!
E a minha família, que é muito chata, aprovou! 


Docinhos funcionais - sem glúten e sem lactose


Essa receita é do Marcelo Facini, só que como eu não uso adoçantes, fiz as devidas adaptações.

Ingredientes:
1 xícara de chá de  biomassa de banana verde (200 g)½  xícara de chá chocolate em barra (100g) - aqui vai do gosto de cada um. Mas o ideal é usar um com mais cacau.3 colheres de sopa de açúcar mascavo. Eu usei 2 colheres, mas a família achou que ficou muito amargo por causa do chocolate, que era 75%. Acho que usar de 3 a 4 colheres fica melhor para quem ainda não acostumou com menos doce. E se for usar o açúcar refinado, diminua porque ele adoça muito mais que o mascavo (que é melhor, já que menos processado).
Modo de preparo
Misture todos os ingredientes e cozinhe em fogo baixo até derreter totalmente o chocolate.
Deixe esfriar. Enrole em formas de brigadeiro.

Para quem não sabe o que é biomassa, isso pode ser encontrado em casa de produtos naturais ou pode ser feito em casa. 
Fiz assim:
Bananas bem verdes com casca e tudo
água suficiente para cobrir as bananas na panela de pressão.
Depois que der a pressão, deixe cozinhar mais uns 20 minutos. Espere a pressão sair, descasque e passe no processador. Pode congelar e ir tirando aos poucos (fiz váááááários potes e deixei no congelador).

Risoto de quinua

A foto não está ajudando nada, mas esse risoto é uma excelente pedida! A quinua (ou quinoa, não sei ainda qual a maneira correta) é um alimento muito saudável e versátil. Aprendi a gostar e hoje faz parte do cardápio aqui de casa.

Foi um bom prato para usar o frango desfiado que sobrou por conta do caldo de frango que fiz.

Ingredientes:
1 xícara de quinua
1 cebola picada
1 colher de sopa de óleo de coco
2 dentes de alho
1 tomate picado
1/2 xícara de vagem picada
1 xícara de frango desfiado
2 xícaras de caldo de frango (ou água, caso você não tenha caldo. Se não tiver, melhor usar água do que aquele caldo industrializado).

Modo de preparo.
Se possível, deixe a quinua de molho por algumas horas (se não der, tudo bem). Refogue a cebola e alho no óleo. Coloque o frango e deixe puxar. Adicione a quinua e o caldo quente (voce pode fazer no mesmo processo do risoto, ou seja, vai adicionando o caldo aos poucos, na medida em que for mexendo, mas se estiver com pressa, vai nesse esquema mesmo). Adicione a vagem quando estiver no meio do cozimento. Por fim, tempere com sal, pimenta e jogue os tomates picadinhos por cima. Se gostar, coloque passas e misture (eu amoooo).
Bom apetite!

domingo, 15 de dezembro de 2013

Maionese caseira

Para comer com carne, nada melhor do que uma maionese e farofa, não? Nada light, mas uma delícia. E pra deixar menos industrializado e mais saudável, nada melhor do que fazer nossa própria maionese.
Mas atenção! O tempo de vida dela é curto, portanto, faça porções ajustadas para o que for usar no dia. Costumo deixar mais ou menos uns 3 dias na geladeira se sobrar alguma coisa, mas mais do que isso não....
Para a maionese, uso sempre a receita do Claude, só que ao invés de fazer na mão, eu uso batedeira (muito mais prático heheheh). Aqui está o video em que ele faz a maionese. http://gnt.globo.com/quemarravilha/noticias/Dica-do-Claude--maionese-caseira.shtmlE aqui a receita com as minhas adaptações (eu não como óleo, então, fiz com azeite. E por isso coloquei gotas de limão, para quebrar o amargo do azeite).


Ingredientes:1 colher de mostarda de dijon1 gema250ml  azeite extravirgemSal e pimenta a gosto

1/2 limão

Modo de preparo:Ponha as gemas em um recipiente e mexa. Misture a mostarda, o sal e a pimenta. Acrescente, sem parar de mexer, o azeite e, por fim, quando estiver na consistência, coloque as gotas de limão aos poucos, até quebrar o amargo.


A partir daí a receita é clássica, né?

Cenoura picada em pequenos pedaços e cozida na água com sal
Batata em pedaços um pouco maiores, cozida na água e sal.
Salsa
Sal e pimenta do reino
1 cebola ralada

Modo de fazer. 
Coloque um pouco da maionese e tempere com a cebola ralada, sal, pimenta e qualquer outro tempero que você quiser. Junte a cenoura e batata e misture. Coloque o restante da maionese, acerte o sal e pimenta e pique bastante salsa por cima!
Bom apetite

Panelinhas de brigadeiro


Não preciso colocar receita de brigadeiro, né? heheheheh
Esses eu fiz para o chá de panela da minha amiga Carol. Está entrando um pouco atrasado aqui, mas tudo bem.... Coloquei porque achei que ficaram muito fofos!
Não está dentro da dieta, muito menos dentro daquilo que costumo comer em casa (alias, leite condensado é algo que nunca tem aqui, só compro para ocasiões específicas)

Usei leite condensado (Nestlé, que acho o melhor) e chocolate em gotas (acho que a consistencia fica melhor do que usando chocolate em pó), um pouco de manteiga e leite para não deixar muito duro.



Empadão de jaca verde - sem glúten

Depois de comer uma coxinha de jaca verde e um pastel de forno de java verde, cismei que queria tentar fazer. A primeira pergunta: onde arrumar jaca verde? E foi aí que pedi para o pessoal da Feira Orgânica do Itanhangá uma jaca verde só pra mim! Como sempre, a Vanessa na semana seguinte apareceu com a minha jaca, linda e verdinha!!!! 
O próximo passo seria abrir a jaca, o que eu nunca tinha feito em toda minha vida. Mas a Maria estava aqui em casa e me ajudou com essa tarefa muito chata de tirar aquele meio da jaca, que solta uma gosma que não sai a não ser com óleo (eca!). Depois de tirar esse meio descobri que dava pra ter cozinhado com tudo que ele saía muito mais fácil (dããã, por que não leu antes, ne?). 
Seguindo em frente, coloquei os pedaços de jaca na panela de pressão e cobri com água. Levei para o fogo e, depois que começa a apitar, você conta 15/20 minutos. Espera soltar a pressão antes de abrir! 
Quando abri a panela a jaca estava transformada! Tirei os pedaços e comecei a descascar a parte verde. Os caroços da jaca vão se soltando facilmente e fica só a carne da jaca. Descobri (também depois de jogar fora os caroços que eles podem ser usados como petisco, fica parecendo uma batatinha, mas isso vai ficar pra próxima).
Se alguém quiser ver um vídeo de como fica, segue esse link: http://presuntovegetariano.com.br/receitas/vegan/carne-de-jaca/. Eu realmente não sei fazer vídeos....
A jaca já desfiada ficou assim:


Como deu uma grande quantidade, dividi em três sacos e congelei. 

O primeiro saquinho foi usado para o empadão. 

Para o recheio:
2 cebolas picadas
4 dentes de alho
1 pote de extrato de tomate (orgânico!!!!)
1 kg de jaca verde desfiada
Temperos a gosto (eu usei alecrim, um pouquinho de curry e tomilho, além de pimenta do reino e sal, claro)
2 colheres de sopa de óleo (uso sempre de babaçu, mas pode ser qualquer um)

Modo de preparo:
Refogue a cebola e o alho até dourarem. Coloque a jaca verde cozida e adicione os temperos a seu gosto. Misture o extrato de tomate e deixe secar um pouco, porque o recheio não pode soltar muito líquido. A jaca acaba puxando, mas se você achar que vai ficar com muita água, reduza a quantidade do molho. O meu é bem concentrado, por isso não me preocupei. Acerte o sal e deixe esfriar.


Massa:
2 xícaras de farinha de arroz
1 xícara de fécula de batata
1/2 xícara de polvilho doce
1/2 xícara de farinha de babaçu (que pode ser substituída pela farinha de banana verde ou até mesmo maizena, mas eu não gosto porque a nossa maizena é transgênica, então, cuidado!)
200 g manteiga (nada de margarina, por favor!!!)
1 ovo
água para dar liga
1 colher de chá de goma xantana (é uma alga que ajuda a dar liga, mas se não tiver, não tem problema)

Coloque os ingredientes secos e faca um furo no meio. Coloque o ovo e a manteiga em pedaços. Vá amassando até formar uma massa homogênea. Pra chegar no ponto ideal, vai colocando água aos poucos (algumas colheres pequenas!!!!!!) até ficar fácil de trabalhar.

Forre o fundo de um pirex (eu usei um grande e esse menor da foto, porque queria presentear uma amiga com o empadão).

Coloque o recheio

Abra mais um pouquinho da massa que sobroupra colocar por cima (eu gosto de fazer bem fina a massa, porque não sou muito fã de empadões massudos. Pincele com uma gema.


Leve ao forno por uns 30 minutos ou até dourar (200º C)

Não deu tempo de tirar foto dele aberto hehehehe
Mas foi sucesso na casa da sogra!

quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Lasanha sem glúten e sem lactose


Fotinhos atualizadas com a última que fiz.


Lasanha é um dos pratos que beira a unanimidade. Conheço poucas pessoas que não gostam (cabem nos dedos de uma mão). Aqui em casa ela é unanimidade e tem que rolas pelo menos uma vez por mês.
Essa receita já estava por aqui, mas resolvi editar porque conheci outras marcas sem glúten surgiram e fui aprimorando a receita. 

Ingredientes do molho
1 alho poró
1 cebola
4 dentes de alho
1 kg g carne moída
Manjericão batido com um pouco de água (a seu gosto)
1 cenoura picadinha
2 tomates sem sementes em cubinhos
1/4 pimentão vermelho orgânico (se não for orgânico, melhor dispensar porque o pimentão é um dos alimentos com maior quantidade de agrotóxicos)
2 potes de molho de tomate orgânico (se for caseiro, melhor ainda! E aqui vale a mesma observação do pimentão... o tomate também geralmente leva uma grande quantidade de agrotóxicos, fiquem de olho!!!)
Sal e pimenta
1 pimenta dedo de moça sem as sementes (se você gosta de comidas picantes, coloca com semente e tudo)
Azeitona a gosto picada

Refogue cebola, alho e alho poró. Junte a pimenta dedo de moça, cenoura e o pimentão. Coloque a carne temperada com sal e deixe fritar. Acrescente o molho e o manjericão e deixa no fogo baixo até cozinhar, deixando caldo no molho (as vezes eu acrescento um pouco de água  quando necessário).

E como fazer um queijo??? Mais uma vez eu achei na Prana um produto delícia!!! E sem conservantes! É o Mandiokejo, é feito de mandioca (assim como a massa de lasanha) e derrete como se fosse queijo!!!! É só fazer como na instrução da embalagem. Ele não tem soja!!! Ufa.... Eu sempre acho muitos queijos de soja, só que não uso porque 99% da soja que encontramos no mercado é transgênica. Eu tenho todo cuidado na hora de comprar o tofu (uma das poucas coisas de soja que eu consumo) e sempre procuro saber se é orgânico, transgênico e tal.

Aqui entra uma parte da atualização da receita.... O intolerante a lactose aqui em casa é o marido, só que ele tolera muito bem o queijo de cabra. O problema era que ele não curtia muito o sabor desse queijo e aí recorríamos ao Mandiokejo. Só que ele agora se apaixonou pelo queijo pecorino (De origem italiana, eu acho....) e o Manchego (esse é espanhol). E eu juro que não sabia, até hoje, que o pecorino era de cabra..... E agora nossa vida mudou!!! hahahahah

Então, o problema queijo está resolvido na nossa vida :-P 


A montagem é simples! Uma concha de molho na parte de baixo do pirex (só pra dar uma molhadinha na primeira camada de massa. Depois vem a massa, molho, massa, molho até você chegar na parte de cima da travessa, tendo o maior cuidado para não deixar muito cheia para não transbordar na hora de ir ao forno. A última camada é de molho e depois queijo. Leve ao forno (médio/alto) por uns 15/20 minutos!




Viu como derrete mesmo?

Estrogonofe de carne sem lactose

Atualização! 
Depois de refazer a receita algumas vezes, esse de agora ficou muito melhor!



Ingredientes

1 cebola
3 dentes de alho
350 g file mignon picado
200 mL leite de amendoas (ai use o amido de milho) ou creme de leite de amêndoas (o leite é mais ralo e coado. Dessa vez deixei de molho 1 xicara de castanhas de caju cruas e amendoas, um mix das duas e joguei fora a agua. Depois bati com mais ou menos 3/4 a 1 xicara de agua, o suficiente pro liquidificador mexer. Deixei batendo muito tempo ate ficar um creme e voce nao sentir mais pedacos de castanha. Ficou um creme super consistentr)
1 xícara de extrato de tomate (de preferência orgânico!!) ou use tomates picados bem maduros
200 g tofu (opcional)
1 embalagem de shiitake ou cogumelos frescos
1 c.café de amido de milho ou outra farinha mais saudavel pra engrossar (isso se voce estiver usando o leite de amendoas e nao o creme de leite) 
1/4 xicara de conhaque, cachaca ou outra bebida do genero.

Modo de fazer:
Refogue a cebola e depois o alho. Tempere a carne com sal e pimenta e coloque na panela para fritar um pouco. Jogue o conhaque pra apurar l sabor. Acrescente o cogumelo picado e o tofu (se estiver usando. Eu confesso que nao sou a maior apreciadora de tofu). Coloque o  tomate e mexa bem. Espere cozinhar um pouco. Acerte o sal. Acrescente o creme de amendoas ou, se estiver usando o leite, bata antes ele com a farinha pra nao empelotar. Deixe cozinhar mais um pouco e bom apetite! 

Ah! Para substituir o creme de leite tambem da pra usar aquele creme de leite de arroz (que já está vendendo no Zona Sul e Pão de Açúcar - acho que a marca é isola bio).

Fazer o leite de amêndoas é fácil. Eu deixo de molho mais ou menos 300, 400 g de amêndoas. Deixo uma noite inteira. No dia seguinte eu escorro a água, lavo mais um pouco e bato no liquidificador com água filtrada (cubro um pouco acima das amêndoas). Depois disso é só coar com um pano. O resíduo das amêndoas vai para o forno, virando uma deliciosa farinha de amêndoas e o líquido eu congelo em várias porções para usar nessas ocasiões (não dá para fazer tudo sempre, né? hehee)

Ps: na falta de batata palha, rola usar semente de girassol so pra sentir o gosto crocante (nao é pra imitar!)

Bom apetite!!!


A foto não está das melhores, mas ficou muito gostoso!


quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Quiche de queijo minas - Receita do Cozinha Prática

Estava louca para testar essa receita da Rita Lobo. Ela fez no Cozinha Prática do GNT (http://gnt.globo.com/receitas/Quiche-de-queijo-branco-servida-com-alho-poro-assado.shtml) Só mudaria duas coisas na receita original dela: usaria creme de leite fresco (não fiz isso porque esqueci) e colocaria umas ervinhas para dar uma temperada (como estão aí na foto).
Segue a receita original e fotos. Essa primeira está ainda crua!


Para a massa:
Ingredientes:
2 xícaras (chá) de farinha de trigo 
150g de manteiga bem gelada
5 colheres (sopa) de água gelada 
1 colher (chá) de sal

Modo de preparo:
Você vai precisar de uma forma de quiche ou de fundo removível de cerca de 20cm de diâmetro e, de preferência, antiaderente. Quanto mais alta, melhor! Numa tigela, coloque água com gelo e reserve. Corte a manteiga em cubinhos de cerca de 1cm e coloque numa tigela com a farinha e o sal. Misture com as mãos, rapidamente, sem desmanchar completamente a manteiga. Com a colher-medidora, transfira as 5 colheres (sopa) de água gelada para a tigela e misture apenas até conseguir formar uma bola. Evite trabalhar demais a massa, pois ela acaba ficando menos crocante. O segredo é deixar pontinhos de manteiga aparentes, sem serem incorporados à farinha. Embrulhe a bola de massa em filme ou coloque num saco plástico e leve à geladeira por 2 a 24 horas, o que for mais conveniente para você.

Retire a massa da geladeira e do filme. Se estiver muito dura, amoleça com o calor das mãos, trabalhando o mínimo possível. Lembre que o truque aqui é manter a massa sempre gelada. Numa superfície lisa e enfarinhada, abra a massa com um rolo. Ela deve ficar maior que a forma para cobrir o fundo e as laterais. Enrole a massa no rolo e desenrole sobre a forma. Com as mãos, modele a massa na forma. Para que a massa não fique rachada, é importante apertar os cantos para formar uma base sólida. Retire o excesso de massa com uma faquinha ou passando o rolo sobre a forma. 

Leve a forma com a massa à geladeira por mais 10 minutos. Enquanto isso, preaqueça o forno a 200ºC, ou em temperatura média-alta. Coloque uma folha de papel manteiga sobre a torta e coloque feijões crus sobre o papel. O objetivo é formar um peso que não deixe o fundo da massa inflar e quebrar ao assar. Leve para assar por aproximadamente 20 minutos, até que esteja dourada. Passados os 20 minutos de forno, transfira a assadeira para a bancada de trabalho, retire os feijões e o papel e reserve a massa. Caso queira fazer a quiche em outra hora, a massa pode ser armazenada na geladeira; ela dura até 3 dias. 

Para o recheio:
Ingredientes:
500g de queijo de minas (frescal)
2 colheres (sopa) de manteiga derretida
5 ovos
1 ½ xícara (chá) de leite integral
2 colheres (sopa) de queijo parmesão ralado
1 pitada generosa de noz-moscada ralada na hora 
1 pitada de pimenta-do-reino moída na hora 
1 colher (chá) de sal 

Modo de preparo:
Se estiver fazendo o recheio enquanto a massa está preassando, depois de tirá-la do forno, reduza a temperatura para 180ºC, em temperatura média. Caso contrário, preaqueça o forno. Amasse o queijo minas com um garfo e, numa tigela, bata bem os ovos com um garfo. Junte o leite, o queijo amassado, a manteiga derretida (pode ser no micro-ondas) e mexa até a mistura ficar homogênea. Tempere com noz-moscada, pimenta-do-reino e sal. Fique atento à quantidade de sal, pois varia de acordo com o queijo: se ele for salgadinho, 1 colher (chá) de sal é suficiente. Se ele for sem sal, pode acrescentar um pouquinho mais.

Na massa preassada, polvilhe 1 colher (sopa) do parmesão. Preencha a massa com a mistura: não se preocupe porque fica bem líquida. Por último, polvilhe com a colher (sopa) de parmesão restante. Com cuidado para não derramar o recheio, leve a torta ao forno para assar por 50 minutos a 1 hora, até que a superfície fique dourada. Retire do forno e deixe esfriar e firmar por 15 minutos antes de servir. Se preferir, sirva à temperatura ambiente. 





Pão recheado




Prometi o pão de calabresa e o de presunto e queijo para a minha afilhada de casamento Carol desde o ano passado. E como promessa é dívida, lá fui eu para a cozinha realizar minha tarefa. Só que como achei que o pão ficou um pouco pesado das últimas vezes que diz, resolvi fazer algumas adaptações na receita original. E é claro, mudei também o recheio, afinal, com uma receita dá para fazer dois pães grandes como esse da foto (dava para ter colocado em uma fôrma maior, mas como só tinha essa de furo no meio, usar as outras representaria um problema para carregar). 

Os recheios, então, foram bem clássicos: calabresa com MUITA cebola e presunto com queijo (quem não ama essa combinação?). 

Vamos aos ingredientes e suas modificações:
1 kg farinha de trigo
30g de fermento biológico seco (dois saquinhos. Um dia ainda tento um saquinho só)
1,5 xícara (chá) de água morna (a água pode variar um pouco, dependendo do clima, do dia, da farinha, enfim.... Nesse dia acabei usando um pouco mais até)
1 xic. de açúcar
1 colher de chá de sal
3 ovos inteiros
0,5 xic de azeite (ficou bemmmm melhor com azeite)

Modo de Fazer:Eu ando preguiçosa e coloco na minha super batedeira. Mas se você não tiver, usa a técnica antiga. Joga a farinha em uma superfície boa para sovar a massa. Faz um buraco e coloca o fermento. Depois vai colocando a água, sal, açúcar, ovos e azeite. Mistura e sova até a massa ficar homogênea. Espere crescer por uns 30 minutos ou até dobrar de volume.

Recheio:
3 calabresas  em rodelas finas 
5 cebolas em rodelas
Tudo na frigideira sem óleo nem nada.

O de presunto e queijo fica do seu gosto, c

Divida a massa e abra a primeira para colocar o recheio de calabresa. Enrole como um rocambole e coloque na forma untada. O mesmo com a massa de presunto e queijo. Cubra com um pano úmido (de preferência morno) e deixe descansar até crescer. Passe uma gema por cima e leve ao forno médio (não muito alto!) por 30 a 40 minutos ou até que o pão esteja douradinho por cima.

Olha como fica depois de enrolado:


E aqui está ele assadinho.... 



quarta-feira, 26 de junho de 2013

Cuscuz de quinoa



Aqui em casa evitamos o consumo de gluten. So que eu amooo cuscuz marroquino, que é feito de trigo, logo, cortado da dieta. Mas eis que a quinoa surge como um belo substituto e não deixa nem um pouco a desejar.

Para cozinhar a quinoa, fiz a mesma técnica do arroz. Só que deixei de molho durante 8 horas com algumas gotas de limão. Depois cozinhei cozinhei na água com sal somente (1 xíc de quinoa para 1,5 xic de água) sem refogar nem nada. Quando secou o líquido, desliguei o fogo.

Quando esfriou um pouco aí sim parti para os preparativos do cuscuz!

Ingredientes:

1 xícara de quinoa cozida
Amendoas
Tâmaras ou damascos
2 cebolas roxas fatiadas em meia lua
Passas
Cebolinha
Ghee
Semente de girassol
Semente de abóbora

Refogue a cebola no ghee e deixe corar bem, até caramelizar. Junte as tâmaras picadas, amendoas (ou nozes) e deixe apurar o sabor. Acrescente as sementes e deixe dourar mais um pouco. Numa tigela, misture com a quinoa  cozida e acerte o sal e pimenta ao seu gosto.
Pronto! É simples e rápido!!!! Fica uma delícia!!! E dura bem na geladeira. 

Bolinho de chocolate com morango



O dia era de comemoração. Mas ao mesmo tempo não podíamos descuidar da dieta. E aí? O que fazer? Tinha acabado de ler no site da Pat Feldman uma receita de bolo de chocolate sem gluten (http://pat.feldman.com.br/2011/02/02/bolo-de-chocolate-sem-farinha/). Ao mesmo tempo, tinha comprado lindos morangos orgânicos que precisavam ser usados. E foi aí que surgiu a ideia de diminuir a receita original, que você pode ter acesso no site, colocar em pequenas forminhas e depois cortar ao meio e colocar um belo recheio de morango.

O recheio foi fácil! Coloquei um pouco de ghee na frigideira depois joguei o morando fatiado. Um pouco de açúcar e contreau para flambar e pronto! Deixa reduzir e terás uma geléia deliciosa!!!!!!

A decoração ficou por conta do açúcar de confeiteiro, nada saudável, mas queria que ficasse bonito para comemorar 3 anos de casamento!


Rolinho de arroz com shiitake


Há tres semanas atrás apareceu na feirinha orgânica aquelas folhinhas de arroz que sempre vejo os chefs fazendo. A Nigella, inclusive, fez num programa recente de divulgação do seu novo livro. So que ela fez com macarrão de arroz e outros vegetais crus. Eu tinha em casa uma bandeja de shiitake e não queria fazer a mesma receita de sempre.
E como o objetivo era um jantar comemorativo, com entrada, prato principal e sobremesa, arrisquei juntar esses dois ingredientes e preparar uma entrada bem legal e diferente. Segue a receita sem muita precisão porque fui fazendo de olho.

Ingredientes

4 folhas de arroz
alho picado
Shiitake picadinho (como usei organico, nao lavei, so passei um pano. Assim ele não solta muito líquido.
Ghee
Shoyo (bem pouco, o suficiente para salgar)
Saque (também pouco, afinal, o shiitake não pode ficar com muito líquido)

Modo de fazer:
Refogue o alho picado no ghee sem deixar queimar. Coloque o shiitake e em seguida o shoyo e saquê. Deixe cozinhar o shiitake (mas não muito) e reduzir o líquido. Espere esfriar.

Para hidratar a folha de arroz, coloque em um prato com um pouco de águe e uma pitada de açúcar. Deixe uns dois minutos para reidratar. Seque a folha um pouquinho e coloque em cima de uma superfície. Coloque o recheio na beirada e vai enrolando como se fosse um rocambole, tomando o cuidado para ficar bem fechado.
Depois de modelar todos, leve a uma frigideira com um pouquinho de ghee (não muito! não é para fritar) e deixe dourar de todos os lados.

Para o molho, fica ao gosto do freguês! Fiz uma mistura com um pouco de shoyo, gengibre, saquê e açúcar, mas a proporção fica conforme o seu paladar. Acho que coloquei umas 2 colheres de sopa de saquê, shoyo (fermentação natural, sem conservantes!), uma pitada de açúcar e uma colher de café de gengibre.

É só mergulhar o rolinho no molho e se deliciar!

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Bruschetta


Postagem para as amigas que estão iniciando na cozinha! Não vou citar os nomes, assim elas não ficam constrangidas hehehehehe.

Segue aí o passo a passo para surpreender  com uma bela entradinha.... A foto não ficou lá essas coisas porque enquanto eu esperava meu marido chegar tive que deixar dentro do forno para não esfriar. Mas tava muito bom.

Essa foi feita com um pouco de presunto de parma em cima, mas isso não é necessário, só usei porque tinha comprado um no mesmo dia e como ele fica bem crocante no forno, achei que ia dar um toque legal.

Ingredientes:

Pão australiano cortado em fatias (o meu é ciabatta e sem gluten, do Talho Capixaba)
1 ou 2 tomates picadinhos
Folhas de manjericão a gosto
Sal 
Pimenta do reino
1 dente de alho amassado
6 azeitonas pretas sem caroço picadas
Azeite extravirgem

Esfregue o alho amassado nas fatias de pão. Em uma vasilha mistura o manjericão, tomate, azeitona, sal e pimenta do reino. Coloque a mistura em cima das fatias de pão e regue com azeite. Leve ao forno pre-aquecido (temperatura 180º a 200º) por alguns minutos (mais ou menos 15, 20), até o pão ficar torrado (mas não muito.... o meu passou um pouquinho).

Bom apetite!!!!


sexta-feira, 10 de maio de 2013

Frango ao curry



Jantar rápido e bem gostoso.

Ingredientes:

Frango em cubos 
Cebola
Alho
Caldo de carne caseiro
Chuchu
Tomate
Curry (usei dois tipos que tinha aqui em casa)

Refogue a cebola e o alho. Coloque i frango e deixe apurar. Jogue o caldo e deixe o frango cozinhar no fogo baixo por uns 30, 40 minutos (deixei la e de vez em quando ia dar uma olhada).

Coloque o chuchu e tomate em cubos e deixe mais um bom tempo, acrescentando o curry ao seu gosto. Quando os legumes estiverem cozidos coloque no bowl e salpique salsinha pra decorar. O frango fica desmanchando e com um sabor apurado.

domingo, 5 de maio de 2013

Bolo de banana com coco - sem glúten e sem lactose

Como não estou comendo banana regularmente, o cacho que havia comprado na semana anterior já começava a dar sinais de que iria estragar. Junto com isso veio uma vontade louca e irresistível de comer um doce.

Entrei na cozinha e comecei a ver o que tinha aqui em casa que pudesse dar um bom bolo. E foi aí que surgiu a receita desse (que achei melhor copiar logo antes que eu perdesse e/ou esquecesse).

E olha a belezura que ficou! E uma delícia também! Com café então..... Hum!!!








Ingredientes:
 1 xic farinha de castanhas (eu fiz um mix com vários tipos que tinha aqui em casa, bati tudo no processador)
1/4 xícara de farinha de coco
1/2 xícara de açúcar
1/2 c.chá de agar agar
1/2 c.chá bicarbonato
1/2 c.chá canela em pó
1 e 1/4 de xícara de doce de banana sem açúcar (piquei todas as bananas que tinha em casa, coloquei dois paus de canela e 1/4 xícara de vinho do porto. Deixei cozinhar um bom tempo em fogo baixo, colocando aos poucos 1/2 xícara de água. Deixa no fogo até virar uma pastinha cremosa com pedacinhos de banana).
Banana passa cozida em um pouco de vinho do porto para decorar.00
4 ovos

Batas as claras em neve. Em outro recipiente junte as gemas com todos os ingredientes (exceto a banana passa). Mistura bem e depois incorpore aos poucos as claras em neve. 

Coloque em uma assadeira com furo no meio untada com um pouco de gordura (manteira, óleo de palma, etc) e farinha de milho ou de arroz. Leve ao forno a 180°C por mais ou menos 35-40 minutos ou até dourar. Decore com a banana passa.





quinta-feira, 2 de maio de 2013

Jantar saudável e rápido!

Hoje acabei esquecendo de descongelar algo para jantar. Mas sempre que faço hamburguer eu aproveito e capricho na quantidade, reservando alguns no congelador para a hora do aperto.

E hoje eles entraram no cardápio noturno. E como tinha comprado palmito e cogumelo paris ontem no Hortifruti, logo veio o menu na cabeça.

E o mais legal é que saiu super rápido, não atrapalhou nem um pouco meus estudos.



Palmito:

Corte o palmito pupunha ao meio e regue com um pouco de azeite, sal e pimenta. Cubra com papel alumínio e leve ao forno médio (180°C) por mais ou menos 40 minutos. Deixa lá e vai fazer outras coisas. Tire o papel alumínio e deixe por mais uns 15, 20 minutos, até dourar um pouquinho.

Quando tirar o papel alumínio, comece a preparar as outras coisas.

Cogumelos
Refogue uma cebola grande bem picada com um pouco de ghee (manteiga clarificada). Quando estiver dourada, jogue o cogumelo em tiras e deixe suar no fogo alto mesmo. Depois abaixe o fogo e pegue um pouco de cachaça e jogue na panela. Aumenta o fogo e usa a chama para flambar um pouquinho (cuidado pra não botar fogo na cozinha!!!!!). Acerte o sal e pronto!

Hamurguer
Na mesma frigideira do cogumelo (o monstro da preguiça nem lavou rsrsrs) leve o hamburguer pra grelhar sem gordura mesmo, ele frita na gordurinha que sempre fica na carne.

A montagem fica por conta da criatividade.....

Tava bom e super rápido de fazer. Minha mãe morreu de inveja quando disse que era esse o cardápio do jantar. Mas aí fica bom e fácil fácil....

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Petit gateau de chocolate

A receita original é do programa Que Marravilha! So que, como sempre, eu acabo fazendo umas adaptações. Recentemente, fiz uma versão  para que ela seja sem glúten e sem lactose. Vamos la!


Opção com glúten e lactose
Ingredientes:
300g gotas de chocolate belga meio amargo (usei da Callebaut)
250g manteiga
6 ovos
6 gemas
250g açúcar
2 pauzinhos de canela
200g farinha de trigo peneirada

Modo de preparo:
Derreta o chocolate e a manteiga em banho-maria junto com a canela. Em outro recipiente, bata os ovos, as gemas e o açúcar até formar uma massa cremosa. Retire a canela do chocolate e misture com os ovos e açucar. Acrescente a farinha de trigo bem devagar. Coloque em formas pequenas untadas com manteiga e farinha. Asse em forno pré-aquecido por 8-10 minutos a 200ºC.

Desenforme e sirva ainda quente com uma bola sorvete de creme.

Rende mais ou menos 16 porções, a depender da forminha que você usar.

OPÇÃO SEM GLÚTEN E SEM LACTOSE 
Rendimento: 5 porções

100 g chocolate amargo 70% picado
80g ghee (manteiga clarificada, sem a lactose) ou oleo de coco desodorizado
2 ovos
2 gemas (peneire ou tire a pele com as maos)
80 g acucar demerara ou mascavo (prefiro o ultimo porque fica menos doce)
1 pau de canela
50 g farinha de arroz
30 g fecula de batata

Só seguir o mesmo processo acima. 

A forminha que uso é do tamanho do petit gateau que geralmente é servido nos restaurantes. Comprei em uma dessas casas de panelas no Saara.




terça-feira, 23 de abril de 2013

Carne ao curry com shiitake

Como minha dieta não permite carboidrato à noite, temos que reinventar o basico para conseguir sair da mesmice.
E aqui eu tinha uma generosa porção de shiitake e uma carninha que meu pai tinha tinha cortado pra mim. Combinacao perfeita.

Refoguei umas cebolas com alho. Joguei a carne picada temperada som sal e pimenta e deixei dourar. Depois coloquei um caldo de carne (caseiro por favor!!! Nada daqueles cubinhos artificiais) e deixei apurando um bom tempo no fogo medio ate reduzir. No final acrescentei o shiitake em tiras e mais um tempo de fogo ate ficar cremoso.
Depois é só servir! Saboroso e super simples e rapido de fazer!



sábado, 23 de março de 2013

Ceviche

Hoje fomos na peixaria de manhã e compramos um olho de cão fresquinho. E assim meu sogro fez um delicioso sashimi no almoço. mas o que fazer com o que não foi consumido? para dar aquela variada, pensamos logo num ceviche. E assim fomos atras de receitas e, com o que tínhamos em casa e achamos no mercado buziano, saiu esse prato típico da culinária chilena/peruana (não vamos entrar na controvérsia!!!).

A receita é simples

Peixe cru (nao sei bem a quantidade, mas deve ter sido algo em torno de 300, 400 g) - usamos olho de cão
1 cebola (não tinha roxa, então foi a normal mesmo)
2 pimentinhas biquinho
Coentro fresco
Milho cozido
4 limões espremidos

Corte o peixe em cubinhos e junte o suco de limão com sal e deixe marinar por alguns minutos (enquanto corta o restante dos ingredientes). Acrescente a cebola cortada em meia lua, coentro, pimenta e milho. Misture muito bem e deixe descansar um pouco na geladeira.

Depois é só servir com torradas ou sem nada mesmo, só com um azeite por cima.



domingo, 17 de março de 2013

Hambúrguer de carne com calabresa

Ontem estavamos com aquela vontade de comer "besteira", mas uma besteira menos trash. E nada mais gostoso que um hambúrguer sucento acompanhado de uma saladinha verde (assim não enfiamos tanto o pe na jaca).
Entao fomos ao mercado e pedimos para o senhor do açougue moer 1,2 kg de chã com 400 g de calabresa e comecamos o preparo.

1,6 kg de carne moída (chã e calabresa)
2 colheres de chá de pimenta em po
0,5 colher de chá de noz moscada
2 colheres de cha cheias de tempero "salho" (é como eu chamo aquela mistura de sal com alho batido, que pode ser feito em casa ou comprado pronto. E ai voce tem que ter cuidado com a proporcao, o meu é muito salgado)
3 colheres de sopa de água

Misture tudo muito bem ate deixar todos os temperos espalhados homogeneamente.
Depois é so modelar do seu jeito. Eu separei em porções de 80g e usei um aro para que ficassem todos iguais.
Aproveitei e fiz uma boa quantidade porque congelei em varias porcoes. Essa é uma boa tática porque da para colocar na grelha congelado mesmo e ai fica super pratico para o dia a dia.
Depois é so colocar na frigideira antiaderente sem óleo mesmo.

Para montar, colocamos uma salada verde com tomate e azeitona e um molho de vinagre balsâmico com azeite . E por cima do hambúrguer coloquei cebolas caramelizadas com camu camu (na verdade um molho tipicamente peruano que trouxe), o que combinou muito bem!






quarta-feira, 13 de março de 2013

Cogumelo chique

Tava com muita vontade de fazer esse cogumelo virar um prato chique. E juntou com essa vontade a minha mais nova aquisição: aquela forminha redonda vazada que os chefs usam para finalizar os pratos. Sempre achei isso o máximo. E ai resolvi publicar a receita principalmente pra dar a dica para minha amiga Livia que é vegetariana e anda se aventurando na cozinha. Claro que a minha não foi nem um pouco vegetariana haja vista esses mega bifões da foto. Mas o artista principal do prato foi o shiitake e por isso a homenagem para a Livia e outras amigas que se interessem.

E foi assim que comecei picando bastante alho (aqui em casa amamos!!!!) e refogando na manteiga (usei ghee, que vou explicar algum outro dia, mas é uma maneira mais saudável de usar manteiga na cozinha). Depois foi so jogar o shiitake em laminas grossas (sem o cabinho), um pouco de saquê e molho shoyo (se possível, de fermentação natural).

Para dar o charme com esse ovo eu fervi uma panela com bastante agua e abri o ovo ali, como se estivesse fritando. Deixei alguns minutos e coloquei por cima do shiitake, colocando um pouco de sal marinho e azeite trufado em cima. Ficou muito gostoso!